google-site-verification: google229f114e74a2ee01.html

 

Translate this Page

Rating: 3.9/5 (9136 votos)




ONLINE
4





Partilhe este Site...




MINHA OBRA CONTINUA
MINHA OBRA CONTINUA

Certa vez, ainda no início da minha obra foi questionado o fato do filho de Satã não ter nascido em um País do Primeiro Mundo e não ter nascido rico, ou melhor, milionário. E ainda hoje alguns patéticos que são pobres duas vezes, pois são pobres financeiramente e pobres de espírito, na falta de argumentos melhores, ficam lançando essa sementinha que só germina no terreno fértil dos que tem a mesma pobreza dupla que eles.

 

Agora eu lhes digo, o Nazareno nasceu em uma manjedoura, dentro de um estábulo, rodeado de cocô de vacas, cheio de mosquitos, foi pobre a sua vida toda, era andarilho, nunca teve casa própria e todos acham lindo, maravilhoso.

 

Eu me orgulho do que fui e do que sou hoje, dou valor a cada dificuldade que enfrentei e cada vitória conquistada. Reconheço a sabedoria do meu Pai que preparou meu corpo e minha alma, como uma espada, no fogo e na bigorna, para suportar hoje os ataques covardes dos invejosos despeitados que não conseguem sequer arranhar o Satanismo Real com suas falas repetitivas e enfadonhas, bem como a ingratidão dos que tanto ajudei e hoje se voltam contra mim. Mas esses a gente não perde, ao contrário a gente só ganha ficando livres deles, pois nos sobra tempo para cuidar dos verdadeiros.

 

Eu faço a minha obra, faço a minha parte e tenho ajudado a dezenas de pessoas que viviam perdidas, sem um direcionamento, sem esperanças de uma vida melhor e mais digna. E continuo sem cobrar nada de ninguém, sem vender pactos, sem explorar a boa fé e o desespero das pessoas para tomar o seu dinheiro. Como isso incomoda os pilantras que querem fazer disso a sua fonte de renda... Como Satã me ensinou, não se pode negar ajuda aos verdadeiros por culpa dos falsos e dos ingratos. Principalmente porque são uma minoria chata e barulhenta como vira-latas que só fazem latir de longe, são os verdadeiros Van Damme do teclado, valentes e bravos atrás de seus computadores mas quando os desligam voltam a ser o que são: nada.

 

Para o palhacinho frenético e desocupado que ocupa o seu tempo comigo, se esquecendo até da propria vida e me chamando de covarde por não citar o seu nome em meu site, apenas digo que não vou lhe dar esse gosto, não vou lhe promover, pois você é nada e não vou satisfazer o seu sonho de ver o seu nome em um site que tem uma média de 1.500 visitas diárias. Se contente com a meia dúzia de pessoas do seu nível que acreditam em você, se é que chega a tanto.

 

Hail Satã. A ele todo o reino, todo poder e toda a glória.

topo